EM PARANAGUÁ, MILITARES ESTADUAIS DO 9º BPM PARTICIPAM DE CURSO DE ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR POLICIAL JUNTO À POLÍCIA FEDERAL

0
168

Please enter banners and links.

No início desta semana, militares estaduais atuantes no Pelotão de Patrulha Costeira do 9º BPM (Batalhão de Polícia Militar) participaram de um Curso de Atendimento Pré-hospitalar Policial que aconteceu nos dias 05 e 06, na Sede da Polícia Federal em Paranaguá.

A formação, que é de Operador Básico – Protocolo – MARC1 (nível básico, mas extremamente importante, do APH de Combate), foi cortesmente oferecida pelo Chefe da Delegacia de Polícia Federal em Paranaguá, Delegado Marcos Rogério Resende Silvestre, por meio de ofício, ao Comandante do 9º Batalhão de Polícia Militar do Paraná, Tenente-Coronel Renato Luiz Rodrigues Júnior, que, em pronta resposta, designou conforme às vagas, três policiais militares atuantes em grupo de operações táticas da OPM (Organização Policial Militar) para a realização do curso.

A instrução contou com a duração de 16 HA (horas-aula) e, através da metodologia expositiva, dialogada e prática, teve como objetivo deixar, ao final do curso, os seus lecionandos aptos a realizarem, de forma eficiente, todas as técnicas para estes tipos de operadores básicos constantes no Protocolo MARC1, que são as seguintes:

• Distinguir as diferenças entre o Atendimento Pré-hospitalar convencional e o Atendimento em combate;

• Citar a evolução e os aspectos do Atendimento Pré-hospitalar em combate;

• Definir e executar o Protocolo MARC1 de Atendimento Pré Hospitalar em Combate;

• Executar a segurança do local de atendimento respondendo a ameaças imediatas;

• Executar o atendimento remoto com a vítima se possível;

• Realizar o atendimento da vítima em área quente utilizando o torniquete de combate;

• Realizar a avaliação da vítima;

• Iniciar o Protocolo MARC1 no atendimento a vítima;

• Utilizar as técnicas para conter hemorragias em extremidades de membros e áreas juncionais utilizando o Torniquete de Combate ou a Gaze de Combate;

• Avaliar as condições das vias aéreas e garantir que estejam pérvias, caso seja necessário utilizar o recurso de manobras de tração ou posição olfativa para mantê-las desobstruídas;

• Utilizar uma canola nasofaringe para manter as vias aéreas pérvias ou em situação preventiva em vítima inconsciente;

• Avaliar o tórax do paciente e o dorso com o objetivo de encontrar buracos resultantes de perfuração de arma de fogo;

• Utilizar o Selo de Tórax para manter a oclusão dos orifícios;

• Avaliar sinais e sintomas de Pneumotórax hipertensivo no paciente;

• Manter a vítima seca, aquecida e prepará-la para a evacuação médica.

A aquisição de conhecimentos tem sido uma ferramenta cada vez mais importante na atuação policial. E esta traz consigo benefícios no sentido de melhorar a confiança do grupo e a autoconfiança na execução de missões de médio e alto risco cotidianamente atendidas pela PMPR.

Há tempos, o 9º BPM, através dos seus Comandantes, vem estabelecendo relações institucionais cada vez mais sólidas com a Polícia Federal e outros órgãos operadores de segurança pública na região do Litoral Paranaense. Essa iniciativa é benéfica aos agentes de segurança e à população, que, de forma direta e incontestável, arregimenta para si policiais cada vez mais preparados para o cumprimento da sua missão constitucional.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here