Empresários pedem a Bolsonaro o retorno do horário de verão

0
206

Please enter banners and links.

Empresários brasileiros do setor de turismo e alimentação enviaram um pedido ao presidente da república, Jair Bolsonaro, pedindo o retorno do horário de verão no país, extinto em 2019.

A carta que tenta a reconsideração da medida foi enviada nesta quinta-feira (02) e contou com a assinatura de pelo menos 15 entidades, como a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) e a União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços (Unecs).

“A adoção do horário diferenciado beneficia muito setores ligados ao comércio, serviços e turismo, especialmente bares e restaurantes, que conseguem aproveitar a hora extra de luz do sol para incrementar o faturamento, com o aumento da procura por happy hours”, destaca um trecho do documento.

As associações alegam também que adoção do horário de verão ajudaria a mitigar os efeitos da crise hídrica no Brasil, que coloca em risco o fornecimento de energia elétrica em parte do país. Para o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, a escassez de água que atinge as hidrelétricas nacionais é a maior dos últimos 91 anos.

Para o presidente da Abrasel, Paulo Solmucci, a medida vai possibilitar uma recuperação mais célere do setor turístico e alimentício. Ele ainda destacou que 37% das empresas do ramo estão atualmente operando no prejuízo.

“Estamos enfrentando um momento extremamente difícil, que é retomada das atividades de milhões de pequenas empresas que sofreram muito com a pandemia. Entendemos que a retomada do horário de verão trará um ganho para todos os empresários. A medida vai gerar um faturamento adicional para bares, restaurantes e cadeia do turismo. Cada real a mais que entra no caixa desses negócios representa um ganho no enfrentamento destes grandes desafios”, disse Paulo Solmucci.

O horário de verão foi extinto por Jair Bolsonaro em abril de 2019, que defendeu que a economia de energia produzida pela norma não era relevante, além de afetar na produtividade dos trabalhadores.

Fonte CNN BRASIL

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here