Energia, uma questão de eficiência no saneamento

0
250
COLABORE  COM O NOSSO JORNALISMO  LOCAL  PIX 41996934645

Please enter banners and links.

Péricles Weber*

Um dos efeitos mais desafiadores do aquecimento global, que altera o regime climático, está na extensão das estiagens, tanto no que diz respeito à sua duração quanto às áreas onde elas ocorrem. Neste cenário, um país como o Brasil, que possui sua matriz energética fortemente estruturada em hidrelétricas, a falta de chuvas acarreta, além da própria carência de água para o consumo humano, a preocupação em se buscar fontes alternativas e mais sustentáveis de geração de energia.
No saneamento, particularmente, a energia é um dos principais insumos das operações de abastecimento de água e de esgotamento sanitário, estando presente em todo o seu ciclo. Ela é a força motriz para a captação nos rios, enviar para as estações de tratamento e para o bombeamento que leva a água tratada para as casas das pessoas. Ao tratar de energia, o saneamento busca eficiência atrelada à sustentabilidade para a manutenção de seus serviços.
A Iguá vem se destacando no setor de saneamento enquanto expoente de inovações voltadas para a eficiência energética e operacional, com foco em soluções sustentáveis.
Atualmente, fazendas de geração fotovoltaica têm ganhado terreno no Brasil. Nos próximos meses, a Iguá implantará sistemas de energia solar em suas operações, iniciando por: Andradina, Castilho, Palestina e. Para tanto, estão sendo construídas duas usinas com placas solares dotadas de tracker – tecnologia que permite o acompanhamento da trajetória do sol e torna a captação mais eficiente –, com capacidade para gerar um total de 2.9 KW. Ao consumir de uma fonte limpa, sustentável e perene, a companhia reduz a possibilidade de paralisação de suas operações mediante um apagão do sistema elétrico, como ocorreu no Brasil entre 2001 e 2002.
Mas não é apenas o uso de uma matriz energética mais limpa que será suficiente para combatermos o aquecimento global. A redução do consumo de energia elétrica é uma das iniciativas mais relevantes para as empresas de saneamento neste desafio ambiental. Para implementar a eficiência energética hoje há uma série de recursos que podem ser implementados.
Inicialmente pela própria concepção de projetos inovadores, com diferente “mindset”, que sejam menos demandantes de energia. A adequação de iniciativas existentes atreladas a práticas operacionais mais eficazes também tem um papel preponderante. Finalmente, a utilização de equipamentos inteligentes de alta tecnologia, que consumem menos energia durante sua vida útil, é a base a para uma eficiência energética efetiva.
Em face de tudo isto, a Iguá estabeleceu a meta de utilizar 100% de energia limpa até 2030, além de ser carbono neutro até o final da década. Esses são alguns de seus objetivos dentro do programa de ESG que a Companhia tem adotado como um fator norteador para seu crescimento sustentável.
Os resultados de uma busca constante por fontes limpas e sustentáveis de energia trazem vantagens que extrapolam as economias financeiras. No saneamento, especificamente, os ganhos operacionais são altamente significativos. Como consequência, os benefícios se estendem ao meio ambiente, contribuindo para a sua conservação. E também para as pessoas, que passam a ter mais garantia da constância dos serviços oferecidos, assegurando seu bem-estar e qualidade de vida.

*Péricles Weber é Diretor de Operações na Iguá Saneamento

Sobre a Paranaguá Saneamento
Por meio de concessão plena com validade de 48 anos, a Paranaguá Saneamento assumiu o gerenciamento e a operação de sistemas de abastecimento de água e de esgotamento sanitário da cidade de Paranaguá em 2001. A empresa atende a 155 mil pessoas e tem como objetivo universalizar o acesso da população à água de qualidade e à coleta e tratamento de esgoto. Desde 2017, faz parte da Iguá Saneamento, companhia que está presente em 37 municípios brasileiros e que alcança 6 milhões de pessoas com o compromisso de ser a melhor empresa de saneamento para o Brasil.

Sobre a Iguá Saneamento
A Iguá é uma companhia de saneamento, controlada pela IG4 Capital, que atua no gerenciamento e na operação de sistemas de abastecimento de água e esgotamento sanitário por intermédio de concessões e de parcerias público-privadas. Uma das principais operadoras privadas do setor no país, atualmente está presente em 37 municípios de cinco estados brasileiros – Alagoas, Mato Grosso, Santa Catarina, São Paulo e Paraná – por meio de 18 operações que beneficiam cerca de 6 milhões de pessoas. Chega ao Rio de Janeiro no segundo semestre de 2021, ampliando seu escopo de atuação com a distribuição de água e esgotamento sanitário para mais de um milhão de fluminenses. A Iguá possui quatro pilares essenciais que orientam a realização das ações socioambientais em todas as suas unidades operacionais, constituindo o planejamento estratégico SERR – Segurança hídrica; Eficiência na produção e distribuição de água; Responsabilidade na coleta e tratamento de esgoto; e Respeito às pessoas. Em 2020, a Iguá aderiu à Rede Brasil do Pacto Global (iniciativa das Nações Unidas), adotando e promovendo, em suas práticas de negócios, os Dez Princípios universalmente aceitos nas áreas de direitos humanos, trabalho, meio ambiente e combate à corrupção. A companhia foi eleita, em 2020, pelo quarto ano consecutivo, uma ótima empresa para se trabalhar pela consultoria Great Place to Work (GPTW). Atualmente, emprega cerca de 1,5 mil pessoas. O nome Iguá é uma referência direta ao universo em que atua: em tupi-guarani, “ig” quer dizer água. www.igua.com.br.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here