Paranaguá participa de videoconferência com ministro da Saúde sobre vacinação contra Covid-19

0
294

Please enter banners and links.

Na manhã desta quinta-feira, 14, a secretária municipal de Saúde de Paranaguá, Lígia Regina de Campos Cordeiro participou de videoconferência com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. O objetivo da reunião virtual que contou com a participação de representantes de municípios de todo o país, foi discutir chegada das vacinas contra a Covid-19 e a logística que será adotada para distribuição das doses.

O ministro Eduardo Pazuello disse que a expectativa é de que no próximo domingo, 17, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), autorize o uso emergencial das vacinas do Instituto Butantan (Coronavac) e da Fiocruz (AstraZeneca).

Neste primeiro momento, conforme o Ministro da Saúde, o público alvo será formado por idosos, profissionais de saúde e indígenas aldeados.

“Durante a conferência, Eduardo Pazuello nos informou que foram importadas 2 milhões de doses da AstraZeneca e 6 milhões de doses do Instituto Butantan. Com chegada primeiramente das 2 milhões de doses da AstraZeneca vindas da Índia”, detalha Lígia Regina de Campos Cordeiro.

Durante a videoconferência, o ministro informou que caso a autorização emergencial pela Anvisa ocorra no domingo, acredita-se que na terça-feira, 19 seja feito o lançamento da campanha de vacinação e o cronograma de distribuição. “Na quarta-feira, 20, às 10h, se tudo seguir como o esperado, será feito o planejamento do início da vacinação em todo o país”, observa a secretária municipal de Saúde. O Ministério da Saúde repassará as doses aos estados e estes distribuirão aos municípios.

Outro assunto em pauta foi a logística dos municípios quanto a aplicação das doses à população. “Após o recebimento das doses, cabe aos municípios o plano de execução, a logística de transporte, padrão da sala de vacinação, utilização de profissionais e equipamentos de proteção individual (EPIs)”, informa.

Lígia Cordeiro enfatiza que Paranaguá já tem um bom histórico de vacinação em massa. “Temos uma equipe bastante comprometida e experiente em campanhas de imunização e estamos nos reunindo para definição dessa logística para que o público preconizado pelo Ministério da Saúde receba as doses da vacina sem aglomerações, de forma segura e planejada”, salienta Lígia Regina de Campos Cordeiro.

A pessoa deve receber duas doses respeitando o período indicado entre as aplicações. Após essa primeira etapa com a imunização do primeiro grupo preconizado pelo Ministério da Saúde, outros públicos também receberão a vacina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here