POLÍCIA CIVIL PRENDE HOMEM QUE MANTINHA COMPANHEIRA EM CÁRCERE PRIVADO EM ANTONINA

0
250

Please enter banners and links.

A Polícia Civil prendeu ontem (3), em Morretes, em flagrante um homem, de 27 anos, suspeito de violência contra sua companheira, de 28 anos. Entre os crimes investigados estão sequestro e cárcere privado, violência sexual mediante tortura e ameaça.

Na tarde de sábado (2), a vítima procurou ajuda na Delegacia da Polícia Civil em Antonina, quando seu companheiro saiu para trocar o pneu do carro e ela, com a desculpa de que iria levar a filha ao banheiro, conseguiu fugir do cárcere. Ela prontamente foi atendida pelos policiais civis da Operação Verão Consciente.

A vítima relatou que era mantida em cárcere privado e era agredida constantemente pelo companheiro com facas, espetos, socos. Também disse que sofria violência sexual mediante tortura, o que seria filmado pelo agressor com o celular. Contou, ainda, que era ameaçada de morte.

Após o registro da ocorrência, foram solicitadas medidas protetivas e a equipe tentou localizar o suspeito, mas não obteve êxito naquele primeiro momento. A mulher foi acomodada em uma Casa Lar de Assistência Social.

Já na manhã do domingo (3), o agressor tentou localizar a vítima e agrediu uma assistente social, que comunicou a Polícia Civil.

Equipe da Polícia Civil realizou diligências e localizou o veículo conduzido pelo suspeito, em Morretes, município vizinho à Antonina. Na abordagem, ele empreendeu fuga, dirigindo perigosamente, colocando muitos em risco. Resistiu à prisão, mas com a habilidade de negociação dos policiais civis, se entregou e foi conduzido à Delegacia da Polícia Civil em Morretes.

Foi autuado em flagrante por sequestro e cárcere privado, direção perigosa, dirigir veículo sem habilitação, desobediência, resistência, ameaça e esbulho possessório.

O suspeito também será indiciado por violência sexual mediante tortura, lesão corporal e ameaça em violência doméstica.

O veículo e o celular do suspeito foram apreendidos e serão encaminhados à perícia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here